[Resenha] Simplesmente Ana, de Marina Carvalho


Quando eu li a sinopse desse livro, eu me apaixonei. Não sei vocês, mas eu tenho um fraco por livros com princesas, principalmente aqueles em que a protagonista não é uma princesa comum. Ao saber que era nacional e, portanto, teria um toque tupiniquim no livro, minhas expectativas subiram mais um pouco.

Ana (é, a do título) é uma universitária normal, com uma família presente e carinhosa, exceto seu pai, que deixou sua mãe há muito tempo e nunca mais deu as caras. Então, graças às redes sociais, eles acabam se reencontrando e é então que ele lhe joga a grande bomba: ela é uma princesa! De um país inteiro! Após a grande revelação, ela é convidada a passar um tempo lá na Krósvia, afinal, é a legítima herdeira do trono, e, aconselhada por todos a ir, Ana pega um avião e se muda para um lugar totalmente fora de sua área de conforto, trancando o semestre na faculdade e deixando os amigos (e um possível namorado) para trás.

As “aventuras” que a Ana apronta pela Krósvia são ótimas, bem engraçadas, tudo isso ajudado pelo fato de que Ana é uma protagonista divertida, desastrada, gente como a gente, que fica envergonhada e fala coisas erradas na hora errada. Eu sempre dava um sorrisinho com algum comentário bem-humorado dela, ou às vezes uma opinião sarcástica, que nem sempre ela conseguia guardar só para si. Além dela, temos o cara do livro, Alex, um daqueles bad boys nível hardcore. Sim, é impossível não suspirar com as cenas dos dois juntos, mesmo que seja algo totalmente esperado e até clichê, a escrita da Marina, mesmo sendo seu livro de estreia, é boa, deixando tudo bem informal e, portanto, mais próximo do nosso dia-a-dia. Às vezes achei que algumas passagens saíram meio forçadas, mas nada que comprometesse a diversão do livro.

Além de Ana e Alex, temos outra personagem que eu gostei muito: Estela, a melhor amiga de Ana. Se Ana já é meio amalucada sozinha, Estela é uma versão um pouquinho pior dela, mas mesmo assim, é uma excelente amiga. Eu adorei as respostas dela para Ana, dando umas chacoalhadas quando a menina estava sem direção.

A história lembra em alguns momentos O diário da Princesa (os filmes, principalmente o segundo), mas não é como se fosse uma cópia ou algo modificado levemente. É uma leitura gostosa, descompromissada e ótima para te fazer sonhar mais um pouquinho com contos de fadas e claro, o “felizes para sempre”.

  
(Quatro estrelas)

Autor(a): Marina Carvalho
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013 (original)
Páginas: 304 (original)
Nome original: -
Coleção: -

0 viajantes:

Postar um comentário

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.