[Resenha] The Future Of Us, de Jay Asher e Carolyn Mackler


Eu estava muito, muito, muito curiosa com esse livro desde a primeira vez que ouvi falar dele. Afinal, a sinopse, que não revelava muita coisa, prometia uma história muito interessante e diferente do que estamos habituados.
E quando finalmente pude comprá-lo, fiquei super animada, mas acabei adiando a leitura, no final das contas (é, eu costumo fazer isso com livros que estou muito animada pra ler... Estranho, eu sei!). Porém, nas férias eu finalmente resolvi dar uma chance a esse livro. Já tinha visto algumas pessoas falando que ele não era tão bom, o que me deixou meio chateada, porque eu esperava um livro maravilhoso.

"'Did you see his hair yet?'
Kellan shakes her head.
'It's shaved,' I say. 'He and Greg and the swin team guys did it yesterday. I swear, guys in group are capable of the stupidest things.'
'Like war,' Kellan says, heaping napkins and ketchup packets onto her tray.
'And jumping off rooftops.'
'And lighting their farts on fire,' she says." (pág. 50)

Josh e Emma são adolescentes comuns, em 1996, que costumavam ser melhores amigos, até que o inevitável aconteceu - Josh achou que eles poderiam ser algo mais, mas Emma queria continuar sendo apenas amigos. Com isso, acabaram se afastando, apesar de morarem na mesma rua. O melhor amigo de Josh, Tyson, costumava namorar a melhor amiga de Emma, Kellan, mas tudo acabou meio tragicamente quando Tyson admitiu que não queria nada muito sério, mas Kellan queria compromisso. Isso só ajuda a aumentar o afastamento dos antes melhores amigos.
Isto é, até que Emma ganhe um computador novo do pai, que mora longe com uma nova família e se sente mal por vê-la muito pouco. Os pais de Josh recebem um cd-rom do AOL, e como eles ainda não tinham computador, fazem com que ele visite Emma para que ela possa utilizar o CD. É então que a confusão começa: eles são logados no Facebook. Em 1996. Se eu não me engano, o Facebook surgiu lá por 2005 ou coisa assim. Ou seja, quase dez anos antes, eles acessaram o site.
VIRAM O POTENCIAL DO LIVRO??? Porque esse livro possuía isso, e muito. Emma e Josh, quando acessam o Facebook se veem no futuro, 15 anos para frente, pra ser mais exata. É claro que isso gerou muita confusão na mente dos dois, que se veem no futuro como pessoas que jamais imaginariam se tornar. E começa o Efeito Borboleta: baseados no que viram que aconteceriam com eles no futuro, acabam tentando consertá-lo no presente ou acelerar para que tal acontecimento chegue mais rápido. É aí que mora o perigo, porque cada ação deles muda não só suas vidas, mas das pessoas que no futuro se relacionariam a eles.

"'The past is over. We can read about it in history books. And what if the future we're at war again, or we still haven't elected a non-white or a non-male president, or the Rolling Stones are still dragging their tired old butts on stage? That would depress me way too much.'" (pág. 52)

E eu gostei muito do modo como tudo isso foi abordado. Josh e Emma, apesar de serem adolescentes, são muito diferentes do nós somos atualmente, mas, ao mesmo tempo, dá pra ver que os sentimentos confusos que qualquer adolescente sente, está lá, porque, por mais que as tecnologias mudam, as pessoas muitas vezes continuam tendo o mesmo comportamento.
Porém, o mais divertido mesmo era ver o contraste da realidade deles com a nossa. Um mundo onde pouquíssimas pessoas tinham computador, quiçá celulares. E, pra eles, a nossa realidade era tão estranha quanto para nós é a deles. Um dos momentos mais legais é quando Josh e Emma, vendo o perfil dela no facebook, se perguntam por que alguém iria querer revelar tantas coisas pessoais para tantas pessoas - o que fazemos atualmente tão naturalmente! Além disso, a própria reação da Emma ao ver seus gostos do futuro foi engraçado. Sério, se o Jay e a Carolyn tivessem posto mais momentos desses, o livro teria sido bem melhor.
Não que ele tenha chato ou entendiante, eu curti muito. Além desse contraste, a vida deles também era bem contada. Seus relacionamentos com sua família, seus namorados... Só o que não gostei muito foi o final. Para algo tão grande, a finalização me pareceu tão sem graça! Eu esperava algo maior. E claro que o que eu já imaginava que iria acontecer desde o começo do livro acabou ocorrendo - mas eu estava até torcendo para isso, então foi legal algo tão esperado acontecendo de fato.

"'He broke your heart! How can you call it love when he hurt you so badly?'
Kellan pops another fry into her mouth. 'It was love because it was worth it.'" (pág. 53)

Outra coisa positiva/negativa (dependendo de como você olha) foi que, a maneira como finalizaram, deixou vários pontas soltas. Por exemplo, como eles se comportarão no futuro (no presente, na verdade), sabendo de tudo que descobriram quando eram adolescentes? O que aconteceu com o Facebook? Será que esse descobrimento mudará algo muito maior no futuro? Eu gosto de quando o livro nos deixa pensando nele, mesmo depois de termos terminado e sem dúvida, esse foi um desses casos.
Ah, eu AMO essa capa!!! Acho muito mais bonita essa combinação binária (01) que tem na frente da imagem da capa do que a da paperback, que é só a imagem. Portanto, eu indico bastante esse livro, porque é muito bacana ver o contraste da nossa vida com a de alguns anos atrás, de pessoas da mesma idade que nós.
P.S.: O inglês é fácil, tanto que li o livro até que rapidamente.
P.S.: A Galera Record lançou esse livro no Brasil, com o nome "O futuro de nós dois" e uma capa tão linda quanto a original (skoob).
  
(Quatro estrelas)

Autor(a): Jay Asher e Carolyn Mackler
Editora: Razorbill
Ano: 2011 (Original) 
Páginas: 356 (Original) 
Nome original: - 
Coleção: - 

0 viajantes:

Postar um comentário

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.